01 dezembro, 2012

está tanto frio

Tenho o corpo moído. Deve ser por passar tanto tempo deitada, depois sentada e depois deitada de novo. Às vezes, virada para cima, outras vezes para um lado e outras para o outro. De noite na cama, de dia no sofá. Estou cansada. De andar com duas muletas, com uma, ou tão somente ao pé coxinho. De tentar pôr o pé no chão e perceber uma e outra vez que não consigo. Estou cansada dos antibióticos e dos analgésicos, de pensar nas horas e fazer contas até à próxima toma. Estou cansada da inércia e dos programas de tv. Não há disposição para ler e surpreendo-me como consumo as seasons das séries com tamanha rapidez.
Dói-me as costas, dói-me os braços, dói-me as pernas, dói-me o pé. Dói-me o corpo todo e raramente me dói a cabeça. Mas é só até alguém se lembrar. Não sinto só que me mutilaram uma parte do corpo, porque, mais do que em qualquer outro sítio, tenho dores na alma. E não há clonix que as alivie.
Para ilustrar tudo isto, comecei a perder cabelo. Assim, como nunca me aconteceu.
Perguntam-me se estou bem. Respondo que mais ou menos. Não quero falar. Dizem-me que está frio lá fora. Que está tanto frio. Aqui está quente e o frio que se sente vem de dentro do peito...