21 agosto, 2012

Isolamento


Vou ter que me isolar. Não é tanto uma obrigação, mas antes uma vontade. Quero afastar-me de toda a gente. Quero ficar sozinha. Não quero ter de continuar a participar em coisas e estar constantemente a fingir que está tudo bem. Não quero estar constantemente a sorrir só para não causar desconforto no outro, porque as pessoas sabem lidar com risos e sorrisos, mas não sabem lidar com angústias e lágrimas. (Porque os outros são sempre importantes, só os outros importam. Não percebo porque é que também eu não posso ser importante de vez em quando).
Preciso de me retirar de cena. Ficar só assim comigo própria. Não sei sequer se vou deixar de escrever aqui. Ainda nem sequer considerei essa hipótese. Pois gosto muito deste cantinho, sabem? E não é minha intenção desfazer-me das coisas. Apenas quero estar sossegada. Quero ficar longe da confusão e da falsa calma que só traz mais confusão. Quero ficar longe das intrigas e dos falsos julgamentos. Tento participar e continuar socialmente activa, mas isso só me tem trazido mais dissabores. Testemunhar umas graçolas e beber uns copos, não me compensa, não me conforta, nem me tem feito assim tão bem. Só me faz duvidar mais do mundo e da genuinidade das coisas.
Preciso de me ausentar do mundo e de tudo o que lhe é inerente. Talvez o período de férias que se avizinha vá servir precisamente para isso. Preciso de descansar, de me proteger, de me fortalecer. Preciso de olhar mais para mim e menos para os outros. Deixar de me preocupar com quem e com o que não interessa. Peneirar a vida... Talvez trazer algumas pessoas daí. Ou talvez não. Está na altura de parar de me esforçar pelos outros. Disseram-me que me esforço demais. Pois chegou o momento de sentir que esse esforço também é feito por mim e para mim.
Não quero pensar no que está para vir. Quero suspender pensamentos e sentimentos. Quero não sentir.
Ainda esta noite, ajoelhada aos teus pés, te disse que tinha saudades tuas. Tenho tantas saudades tuas. E tu apenas disseste que daqui para a frente será pior. Que teria que me preparar. Não sei ao certo o que isso quer dizer, mas já que tenho que cá estar, é melhor que me reerga em força para aguentar todas as tempestades, todos os furacões. Talvez consiga fazê-lo. Talvez consiga resistir o tempo suficiente para sobreviver a este pior que aí vem. Talvez consiga até subsistir para ver o que vem depois disso, para ver se ainda surgirão raios de sol depois da chuva imensa. Porque só aí vou saber se vale a pena voltar a sorrir ou se mais vale parar de lutar e deixar-me levar para outro lado qualquer. 

13 comentários:

  1. Identifico-me por vezes assim.

    Leitora assídua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leitora assídua? Hum... Fico sempre curiosa quando recebo comentários de leitores anónimos. Mas é bom saber que não estou sozinha. :)

      Eliminar
    2. Percebo a curiosidade, no entanto não me conheces, encontrei o teu blog há pouco mais de meio ano através de uma amiga tua.

      Desde aí fui acompanhando a tua escrita, identifico-me com algumas coisas. Já gostei bastante de escrever mas fui perdendo o gosto, para além de ter um blog não sou assídua nele.

      Li a resposta ao teu comentário abaixo e acho que a esperança tanto em nós como nos outros nunca se perde, apenas se desvanece nas fases em que nos sentimos mais solitários, magoados, em sofrimento...Numa fase melhor da tua vida, verás que essa esperança vai voltar, tanto para ti mesma como quanto aquilo que vês em relação aos outros.


      Boa continuação do blog :)

      Eliminar
    3. Fico mesmo contente de saber que as pessoas acompanham aquilo que vou escrevendo, mesmo que sejam poucas. A sério que fico.

      Se gostas de escrever, não percas a vontade. E se quiseres partilhar o teu blogue, terei todo o prazer.

      Espero sinceramente que essa fase melhor chegue rapidamente. No entanto, não se trata apenas de uma fase menos boa. Arrisco-me a dizer que a minha perspectiva do mundo, das pessoas e da vida mudou bastante.

      Enfim, obrigada por estares desse lado.

      Um beijinho,
      JB

      Eliminar
    4. Apesar de ser uma jovem a começar agora a viver a vida, compreendo essa perspectiva porque a vida se encarregou de me mostrar o lado mais cruel das pessoas, mas também me compensou com a bondade de outras.

      Quanto à escrita, iniciei novamente uma nova fase no meu blog que futuramente partilharei com certeza, obrigada pelo incentivo.

      Não tens nada de agradecer, pelo contrário, leio e comento neste momento com gosto.

      Bj, M.

      Eliminar
    5. Tal como prometido...
      http://eyessangell.blogspot.pt/

      Eliminar
  2. Comigo isso está constantemente a acontecer, força, não desistas, o ontem já passou, temos que começar a construir um amanhã melhor que hoje.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Mas por vezes torna-se demasiado difícil. Sinceramente, começo a perder a esperança. Em mim e na humanidade, por razões opostas...

      Eliminar
  3. Vale sempre a pena continuar a sorrir. Também sei que por vezes custa. A pressão é muita, as pessoas não percebem, não querem ter de se preocupar. Mas às vezes é uma questão de encontrar as pessoas certas, aquelas que não te deixam fazer o trabalho todo sozinha e que, no final, ficam genuinamente felizes por te ver sorrir com as vitórias, como se fossem elas a vencer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que tenho tentado fazer. Aliás, como já o disse aqui outras vezes, considero-me uma pessoa bem disposta e cheia de sentido de humor. Mas aqui aproveito para desabafar um bocadinho.
      Estou a tentar encontrar as pessoas certas, mas tenho-me desiludido bastante. Sinto que não posso confiar verdadeiramente em ninguém. Talvez esteja para breve. Obrigada pela força ;)

      Eliminar
  4. JB (V...)
    como sabes, é dificil para mim vir aqui a este local e penetrar no teu íntimo desta maneira.
    Sei que não me expresso como tu mas sinto em muito aquilo que sentes!
    Não quero ficar tão distante como pareço!
    Sempre aqui!
    Um Beijo grande
    IB (S...)

    ResponderEliminar
  5. Agora sim fiquei surpreendida. Um comentário da minha irmãzinha?... Sim, senhora. :)
    Podes vir aqui sempre que queiras. Sabes que és sempre bem-vinda.
    Eu sei bem que sentes aquilo que eu sinto. Embora eu nunca o demonstre quando estou ao pés de vocês, tudo isto me está a custar muito e a aceitação dos factos está longe de chegar.
    De qualquer forma, retribuo dizendo que também estou sempre aqui para ti.

    Beijinho,
    JB

    ResponderEliminar
  6. "peneirar a vida" é um processo que devemos fazer regularmente na nossa vida. Filtrar o que é realmente importante e focarmo-nos nisso.

    ResponderEliminar