02 julho, 2012

Just another night #2



Existem dois motivos para eu estar algum tempo sem escrever. Ou porque estou demasiado ocupada, mentalmente disposta a fazer coisas e emocionalmente estável para as cumprir sem dar lugar a tristezas. Ou porque estou demasiado triste e até tenho receio do que possa transpôr para o papel.
Ultimamente, tem sido um misto dos dois. Mas não por circunstâncias da vida ou por bons motivos. O que tem acontecido é que eu intencionalmente me ocupo para não ter tempo para pensar no que quer que seja. Pois sei que quando me permito parar por um pouco me vou abaixo com alguma facilidade.
Hoje, em particular, não está a ser um dia fácil. Sinto-me completamente sozinha. E isso não é bom. Garanto-vos. Durante o dia, estive ocupada no trabalho e as horas passaram a uma velocidade estonteante. Aguentaria outras oito sem sequer reclamar, se preciso fosse. Mas depois há o regresso a casa... Não é fácil regressar sem ter ninguém à espera nestes dias em que não nos somos suficientes. E hoje sinto que não me sou suficiente.
Têm acontecido demasiadas coisas que me deitam abaixo. Ou por um comentário infeliz, ou por uma conversa que me deixa triste, ou por sentir falta de coisas e de pessoas que não deviam estar ausentes. Talvez espere demais das pessoas. Sou demasiado exigente, talvez. 
Depois há outras que também contribuem para esta fase que teima em não passar, mas de que não vou falar aqui. Porque há muitas coisas que não partilho. Nem aqui, nem em lugar nenhum. Simplesmente, guardo-as para mim. Coisas demasiado minhas.
Tenho tantas coisas para fazer. Olho em volta e a minha casa está estagnada. Assim, como a minha alma. O pó vai-se acumulando na superfície dos móveis, a desarrumação vai-se fazendo notar. Não tenho disposição nenhuma para fazer o que quer que seja. Falta-me a coragem.
Precisava de dar uma volta a isto tudo. Deitar coisas fora, dar algumas de que não preciso, desanuviar o espaço. Alterar a disposição das coisas, renovar e pôr ideias em prática, livrar-me desta energia negativa. Queria  poder respirar fundo e sentir-me revitalizada no meu cantinho.
Estou cansada. Estou mesmo cansada. Alguma coisa precisa de mudar para melhor. Alguma coisa tem que surgir para que possa recuperar um pouco a energia que me falta.
Ontem pintei as unhas de uma cor garrida. Já não o fazia há bastante tempo. Ainda não me seintia bem para isso. Normalmente, o que vestimos ou o que usamos, é um reflexo do nosso estado de espírito. Mas desta vez, reverti o sentido. Esperei que o meu estado de espírito acompanhasse a cor do verniz que escolhi. Não resultou. 

Sem comentários:

Enviar um comentário