07 junho, 2012

extremely loud & incredibly close




Pode ser visto como mais uma história sobre o 9/11. Mas, na minha opinião, isso serve apenas para ilustrar o filme. Trata-se, acima de tudo, sobre a forma como se lida com a perda de um ente querido. Aqui, retratado na pele de uma criança. Mas podia igualmente tratar-se de um adulto. Os sentimentos de frustração e impotência são precisamente iguais, são sentidos exactamente da mesma maneira. 
Há muito tempo que não me emocionava a ver um filme. Estivera eu sozinha e choraria baba e ranho.
É mesmo assim... e venha o primeiro que me ensine a encaixar isso de ânimo leve. Eu ainda não descobri. Porque realmente há coisas que não fazem sentido...


2 comentários:

  1. Este filme foi para mim um dos melhores senão o melhor do ano passado.

    ResponderEliminar
  2. Pois é, faa. É um bom filme realmente. ;)

    ResponderEliminar