30 abril, 2012

Once - Glen Hansard


Estive a ver este filme. Adorei.
saquei comprei um disco (The Swell Season).
E já só falta pôr a mochila às costas rumo ao Sudoeste.



29 abril, 2012

Dia Mundial da Dança


"Perdido foi o dia em que não dançámos pelo menos uma vez."

F. Nietzsche

19 abril, 2012

Sem espinhas

Quantos mais blogues sigo, quantos mais posts leio, mais me convenço que existem muitas pessoas neste país que escrevem realmente muito bem.  Não tem a ver com o uso de palavras caras ou de construções frásicas cheias de floreados. Mas sim com a forma como conseguem fazer reflectir a sua sensibilidade na escrita. Na maneira subtil como me tocam com aquilo que partilham, tão seu, mas com que ao mesmo tempo me sinto tão identificada e que faz surgir uma lágrima no olhar que docemente acompanha as linhas virtuais.
Só tenho a agradecer. Aqui vai um imenso obrigado, sem espinhas.
Ao mesmo tempo, cada vez me apercebo mais que tenho uma escrita banal, tão igual a tantas outras. Com um ou outro rasgo de inspiração, é certo, mas que não se destaca por aí além.
Fico um pouco triste, pensativa. Não por me querer melhor que os outros, mas por ter pensado erradamente que escrever seria a minha melhor qualidade. Desengano-me... de uma forma saudável, pelo bem que tantos escrevem.
Tenho escrito alguns textos, mas não os tenho publicado, talvez por serem demasiado específicos ou demasiado próximos. Talvez um dia, quando já não forem providos de tamanho significado ou quando a dor já não for tão fresca.
Foi ao comentar este facto com uma amiga que recebi a seguinte resposta: “Pois, compreendo... Talvez sejam demasiado evidentes... mas é uma pena para o leitor J. (...) Sabes aquele livro que não consegues parar de ler até chegar ao fim? J Parece o teu blog. E confesso que me deixa frustrada quando passam dias e tu só publicaste músicas ou um eventual evento...”.
E agora?... Outro imenso obrigado, sem espinhas. J


Obrigada à Pat e a todos aqueles que me lêem.

Walking On Thin Ice

Dói e volta a doer ao mínimo deslize. Mesmo que pareça não ser nada e venha disfarçado de um mal entendido. Paira uma atmosfera pesada e cheia de significados que não quero para mim. Não são meus e não os quero encarar. Quero exorcizá-los, isso sim. É isso que faço. De uma forma dura, é certo, mas é melhor forma. Senão acabam por voltar, mais pesados, conspurcados. Envoltos em mentiras pequeninas. Demasiado pequenas. Tanto que nem mereciam existir. Mas estão lá. Revelam-se em evidências que não procurei. São-me atiradas em cara. Não as quero. Não mereço e exijo respeito.
Mas continuam lá sob os teus pés, como uma fina camada de gelo sobre a qual caminhas a passos largos...





"Walking on thin ice,
I'm paying the price
For throwing the dice in the air.
Why must we learn it the hard way
And play the game of life with your heart?"

Yoko Ono

15 abril, 2012




O pior cego é o que não quer ver

13 abril, 2012

Passado presente

Quando o passado te persegue, te prende e te puxa, quando queres seguir em frente e vês que afinal não saíste do mesmo sítio, quando falas demasiado sobre o que já passou, quando revives em conversas momentos da tua história, quando contas o que deves e o que não deves, quando partilhas momentos que deviam ter ficado guardados, quando és demasiado influenciado por quem já seguiu em frente, quando queres a todo custo afundar os teus navios para esquecer e não consegues, quando te sentes triste e revoltado por sentires a perda de quem já há muito não faz parte dos teus dias, é porque queres que esse passado que te persegue, te prende e te puxa, faça agora e para sempre parte do teu presente.


12 abril, 2012

As good as it gets


Ben Howard no Sudoeste
:)

02 abril, 2012

02.04.42

Hoje é o dia do teu aniversário...
À meia noite o telefonema do costume não aconteceu. Fiquei apenas a olhar para o telefone a ver a viragem da hora e do dia. Em silêncio...
Dormi mal. Pior do que nas outras noites em que durmo mal.
Não fui ao cemitério, porque hoje foi dia de trabalho. Fui ontem. Deixei-te flores frescas, como em todos os domingos.
Fui à missa das sete, na Basílica da Estrela. Depois, passei de carro à porta da casa onde nasceste. Um dia ainda a vou comprar, em tua homenagem.
Espero que estejas bem. Nós estamos contigo. Agora e para sempre...


In Loving Memory