27 janeiro, 2012

Sheeps & Wolves


Eu gostava de conseguir perdoar quem me tem ofendido, assim como sou perdoada por uma força maior. No entanto, quando as ofensas são tantas e tão consecutivas, torna-se difícil aceder à paz de espírito necessária para esse perdão.
Aproximam-se com falsos motivos, dizem e fazem coisas que nos tocam, usam a nossa bondade para nos apunhalar à primeira oportunidade. E à segunda. E a todas as outras que se lhes ofereçam. Pois oportunidades para rebaixar e humilhar o próximo sem motivo não podem ser desperdiçadas.
As ofensas e os disparates que se fazem ouvir são de tal forma absurdos que me pergunto como é que podem existir pessoas assim.
Demorei um bocadinho a entender que aqueles que se escondem por detrás de casaquinhos de carneiro, são apenas lobos que fingem ser amigos para o bem e para o mal. Mas assim que tomei consciência, vi que não me mentem a mim, mas apenas a si próprios. Não me atingem, apenas despertam em mim um sentimento que não me sabia capaz de sentir – pena.
Tenho a dizer que na minha vida não há lugar para pessoas assim.
Eles sabem o que fazem? Sabem sim. E gostam. E repetem. Vangloriam-se e passam a mão pelo pêlo uns dos outros. Cheiram o cú uns dos outros. É mesmo assim.
Julgam-se superiores e cospem em direcção àqueles que acham menores. Mas cuidado com os dias de vento.
Não entendem que não é essa a perspectiva. Não têm sequer capacidade para aceder à verdadeira compreensão das coisas. Vivem numa realidade distorcida, cheia de luzes e purpurinas e onde reinam as aparências.
Espero conseguir repelir esses seres que me repugnam e agoniam. São estes aqueles em quem, por mais que se arrependam, jamais voltaremos a confiar.
Perdoá-los? Não. Que comecem por se perdoar a si próprios.






1 comentário:

  1. "Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir. Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz."
    Carlos Drummond de Andrade

    Infelizmente na vida encontramos muitos colegas! Pessoas que nos ouvem e que até fingem, consciente ou inconscientemente, tomar as nossas "dores". Difícil é encontrar alguém que, de forma pura e genuína, fique igualmente contente com as nossas alegrias! Sem sombras de inveja! Porque a dor dos outros é fácil de suportar, mas as alegrias... essas causam uma comichão muito grande! Incomodam!
    Sê feliz e incomoda os colegas ;)

    Estou a sentir falta da tua escrita!

    ResponderEliminar