25 dezembro, 2011

Free me


Tenho que te libertar das amarras deste amor que não é nada. É apenas uma espécie de possessão sem sentido. Quero-te perto, mas não te quero para mim. Quero a atenção e o carinho, mas não quero proximidade física. Não quero perder a nossa amizade, mas não quero a forma como ma dás. Não quero esse sentido de exclusividade. Não sei lidar com isso.
Por isso é que digo que entendo aqueles que não se querem comprometer, que têm medo de se prender a uma relação. Não quero compromissos. Não tem a ver contigo. Apenas não quero essa ligação com ninguém. Há poucas pessoas que entendem isto, mas as que entendem, entendem-no muito bem.
É muito estranho realmente. Não peço compreensão, apenas respeito.
E tomo a decisão de te libertar. Mesmo que isso te possa fazer sofrer. Mesmo que isso me possa fazer sofrer. Talvez os outros me sigam o exemplo. Talvez não.
Espero pelo menos eu conseguir fazer vingar o que agora escrevo e não permitir que haja mais sofrimento e confusão emocional.










Sem comentários:

Enviar um comentário