11 outubro, 2011



Faz amanhã dois anos que nos deixaste. Ainda não consegui habituar-me à tua ausência. Não há dia nenhum em que não me lembre de ti ou em que não te veja no rosto de alguém. Ainda relembro o pormenor das tuas mãos, a doçura do teu sorriso e o brilho do teu olhar. Ainda ouço a tua voz de menina. Ainda te pressinto, porque sei que olhas por todos nós.
Ainda me custa a respirar pelo nó que se forma na garganta cada vez que penso no que aconteceu... cada vez que tento entender o porquê... sempre sem repostas.
Acho que ainda não consigo aceitar, pois a dor é demasiado grande para encaixar na forma da tua morte.
Espero poder reencontrar-te um dia... até lá relembro-te nos teus lugares preferidos.







Sem comentários:

Enviar um comentário