20 julho, 2011

Um Coração em Casablanca

Está a ser muito complicado lidar com tudo ao mesmo tempo. São demasiadas coisas más em simultâneo. É difícil lidar com tudo isto e manter sempre a mesma postura, o mesmo sorriso, a mesma disponibilidade, a mesma coerência no discurso. É nestas alturas que esperamos que os amigos nos dêem alguma força, ou somente um desconto. São portanto de evitar frases como: “estás stressada com quê?...”. Daaahhh!... Serão pessoas pouco inteligentes, insensíveis ou é falha minha? Deve ser de mim com certeza, pois ultimamente elas vêm de todo o lado e com tanta rapidez que nem tenho tempo de me desviar. Devo ser eu que estou a enfatizar os meus problemas. Estou a exagerar e tenho que ter calma, não é? Pois, tudo se resolve… Irónico, no mínimo.
Hoje parece que tudo bate mais forte. Palavras descabidas e inconsequentes, apelos mal interpretados e tidos como ataques. Falhas de comunicação constantes. Uma confusão que desencadeia um rol de sentimentos que não quero guardar. Fico triste e sinto-me sozinha. Sinto-me perdida e sem nada onde me agarrar, nada que valha a pena. Puxam-me o tapete e deitam-me ao chão. Desfazem-me os sonhos e destroem a esperança.
Fica a valer o que prevalece. Fica a valer o sentimento gratuito que me foi demonstrado ontem. Vale pela sua genuinidade, pela ternura com que foi dito, pelo momento certo. Valeu mais que um abraço apertado. Teve a força de me conseguir fazer sorrir, de me fazer refugiar em si e de me proteger de todos os ataques, de toda a falta de paciência, de toda a incompreensão que paira agora à minha volta.
Um coração que, mesmo longe, me enviou o seu amor… Sem maldade, sem pedir nada em troca. Genuíno na sua essência. Obrigada, Monsieur Casablanca…


1 comentário:

  1. não sabia como comentar por isso coloquei-me em anónimo.
    É bomver que pelo menos tu consegues demonstrar o que realmente sentes por estas bandas.
    Há alguém que te leia aqui? Senão vou começar a ser eu, tens sido impecável comigo.
    Não vinha cá há imenso tempo. Enfim, desde que me senti mais vazia do vazio que era.
    Espero mesmo que te resolvas. é irónico tal como aqui disseste.
    J.

    ResponderEliminar