11 maio, 2011

Ain't no sunshine when you're gone...

Como é que nos libertamos das amarras de um passado que não é assim tão distante? É difícil apagar as memórias e as marcas do mal que nos foi feito. É impossível contornar todas as desilusões, todas as traições, todos os maus tratos emocionais. É difícil voltar a confiar. Não podemos fugir e esquecer o que faz parte da nossa história, o que bem ou mal faz parte de nós.
Estão presentes as sombras do passado que nos escurecem e atormentam o presente.
Por mais que tente, não me consigo afastar desta sensação estranha que corrói, que deturpa e que destrói. Que deforma e me consome e me confunde. Que me engole e me turva o raciocínio. Que me impede a visão e me priva o olhar como uma venda. Que desfoca irreversivelmente. Que me cega e que me enerva. Que me amarra e me mantém nesta escuridão. Que me prende nesta sombra. A sombra da tua ausência…







Sem comentários:

Enviar um comentário